admin

O Impacto do Trabalho Voluntário

O Impacto do Trabalho Voluntário

Por Evandro Vaz

A cidade de Campo Grande há muito apresenta marcas de grandes metrópoles com trânsito embaraçoso, rotinas frenéticas e mudanças bruscas no clima, tudo num ambiente que ainda lembra e muito uma cidade com cheiro de interior. Mas por trás desta realidade corriqueira tida como normal, um submundo desconhecido pela sociedade se move sorrateiramente e nele pessoas são objetos, servem apenas para satisfação do prazer a qualquer custo. Seus gritos de socorro não fazem barulho. São as vítimas do abuso e da violência sexual.

O Projeto Nova é uma entidade dedicada ao atendimento dessas vítimas, em sua maioria mulheres e crianças. Com suas atividades iniciadas em maio de 2011, tem atualmente 32 famílias cadastradas. Após parceria IMG_5738firmada com o curso de Psicologia da UCDB – Universidade Católica Dom Bosco, é hoje um campo de estágio curricular obrigatório. Segundo Renan Júnior coordenador do curso, o estágio específico para os alunos de nono e décimo semestres proporciona aos mesmos o exercício de uma prática responsável nas intervenções e avaliações nos atendimentos.

Na casa sede do projeto são oferecidas regularmente atividades como arte terapia, reuniões, cursos, triagem social, atendimento psicológico e encaminhamento jurídico. Assim, visa proporcionar o restabelecimento da dignidade humana e novas oportunidades de geração de renda. A coordenadora do projeto Viviane Vaz afirma que, “os sobreviventes da exploração sexual sofrem uma amputação de perspectivas sociais comuns à maioria das pessoas”, já que a violência traz graves consequências emocionais, quadros depressivos, bloqueios de aprendizagem e desejo de morte. Um fenômeno grave é observado nos tratamentos, a tendência da violência sofrida quando criança ser transmitida por meio de atitudes desta quando adulta, aos seus filhos. Viviane acrescenta que “a terapia visa acolher, e mostrar aos assistidos que dentro dos mesmos existe o poder para se levantar e vencer as próprias tragédias. As principais mudanças notadas são o desenvolvimento de novas habilidades, metas e como alcançar seus sonhos pessoais, familiares e profissionais”.

Conforme a Professora e Psicóloga Dra. Mirian Exel, o projeto é “pioneiro, sendo a base na implantação de uma rede psicossocial em psicologia” com profissionais de múltiplas áreas, assim fixando o projeto como referência em ações de intervenção e proteção. O objetivo é fornecer apoio e tratamento para uma população vulnerável, e através de parcerias firmadas, ser eficaz no seu poder de sarar essas duras mazelas. O contato com o projeto deu-se através de uma acadêmica que procurou orientação, já atuando como voluntária. A professora ao conhecer o trabalho também se voluntariou.  Ela disse, “a minha atuação como voluntária evoluiu para viabilizarmos junto à IMG_7383coordenação a atividade extracurricular”, e hoje são sete acadêmicos, sendo que alguns pretendem continuar depois de formados como voluntários. É o caso de Anne Vanessa, que enquanto acadêmica apresentou o projeto à professora Mirian. Hoje a psicóloga segue como profissional voluntária e relata, “o trabalho traz esperança, nos ensina amar e ter zelo pela vida das pessoas; tenho ajudado famílias que estão sem nenhuma expectativa de vida, a ter uma. É gratificante para nós profissionais”.

Ainda segundo a professora, não há relato de projeto nesses moldes em funcionamento no Brasil, afirma que a experiência para o acadêmico proporciona “uma vivência que extrapola a formação clínica tradicional, numa realidade de rede psico social. O exercício do olhar clínico ajustado para essa realidade é um aprendizado, uma vez que não existem escritos a respeito da dinâmica de atendimentos”.

Carol Flores, acadêmica do décimo semestre de psicologia da UCDB, coloca que área da Psicologia Social está sendo aprimorada nos últimos anos, “acho importante como futura profissional focar meu trabalho em públicos que geralmente não são um alvo comum. Penso que todo ser humano deveria ter o privilégio de se reconhecer e ter trocas profundas com o meio que o cerca”.

O atendimento psicológico possibilita identificar e investigar os impactos da violência e do abuso sexual a curtos e longos prazos, bem como seus desdobramentos mais conhecidos. São eles: a ansiedade e a depressão, transtornos pós-traumáticos, atitudes regressivas, autopunição, vingança, tentativa de suicídio, dificuldade nos relacionamentos, prostituição e promiscuidade, além do uso de entorpecentes.

Tudo acontece numa uma rotina semanal de triagem e atendimentos. Foi recentemente desenvolvido um regimento interno em conjunto com a coordenação de estágio, a direção do projeto e profissionais voluntários; de maneira a dar suporte ás famílias assistidas dentro de suas peculiaridades.

O engajamento de voluntários é uma marca do projeto, Flávia Fernandes se dedica integralmente as atividades. Ela relata, “fiquei sabendo do projeto através da divulgação na igreja, e também de amigas voluntárIMG_7439ias após minha experiência em um projeto na cracolândia – São Paulo”. Primeiramente hesitou, “não queria ajudar a princípio, resisti um tempo, mas quando fui ajudar logo me apaixonei”. Para ela, “aprendemos que o ser humano machuca muito, mas tem muito mais querendo ajudar a levantar quem está caído. Pessoas capazes de doar seu tempo, disposição e também coisas materiais”. Acrescentou que aprendeu ver a importância da psicologia, e seu papel fundamental no tratamento das raízes dessas feridas nas vítimas.

Cerca de 30 voluntários dedicam seu tempo semanalmente na sede, seja transportando doações, fazendo triagem de roupas, preparando lanches, cuidando de crianças, com artesanato e culinária, costurando, etc. Além de profissionais liberais (advogados, médicos, dentistas, assistente social, etc) que doam seu serviço a disposição destas famílias.

“Quero aqui honrar a vida de cada intercessor, cada colaborador e abençoador do Projeto Nova, servos e servas de Deus que estão anônimos p os homens mas vistos pelos olhos de Deus.”  Evanir

Seja também um voluntário, uma simples atitude pode fazer diferença na vida dessas famílias.

Posted by admin in Notícias
Equipe de Psicologia

Equipe de Psicologia

Em parceria com a Universidade Católica Dom Bosco, e a partir deste ano nos tornamos um campo para que os estagiários de Psicologia possam desenvolver seu estágio curricular, temos agora 09 estagiários do 9º semestre de psicologia, supervisionado pela Dra. Miriam Exel. E para iniciar os atendimentos eles passaram por um treinamento onde puderam entender o perfil das famílias atendidas, questões a cerca das dificuldades emocionais, compulsões, recaídas e prevenção ao abuso infantil.

“O público em vulnerabilidade social é muito resiliente, embora cercado de situações de caos. O Projeto NOVA dá espaço e abertura para que vivenciem de modo novo suas histórias e fortaleçam aquilo que é bom, se desprendendo aos poucos dos traumas passados que eclodem no agora, mas dando espaço aos novos significados e sentidos que virão.” Carol Flores

As áreas de atendimento ficaram estabelecidas da seguinte forma:
– Triagem e psicodiagnóstico
– Atendimento Individual
– Orientação Profissional Individual
– Grupo Operativo de planejamento de vida
– ARTE TERAPIA em grupo
– Grupo terapêutico Infantil

“Tem sido um desafio, realizar psicoterapia em pacientes com tamanhas particularidades. Mas é enriquecedor e tem me levado a reflexão: o homem pode chegar até o mais profundo abismo, mas ainda encontra forças para se levantar. O importante é que o projeto se coloca como um propulsor, uma motivação para eles, talvez uma única porta de saída para a recuperação. ” – (Rivanei O. Moura)

 

Posted by admin in Notícias, 0 comments
Metodologia de Trabalho

Metodologia de Trabalho

Publico Atendido:

  1. Desempregados ou com renda até 1 (um) salário mínimo e que dependem do trabalho como profissionais do sexo;
  2. Analfabetos ou com escolaridade até 5º ano o Ensino Fundamental;
  3. Famílias que sofreram ou sofrem abuso ou exploração sexual;
  4. Atendimento aos filhos (as) de mulheres que trabalham na prostituição e que vivem de forma vulnerável;

Em alguns casos incluem:

  • Portadoras de doenças psiquiátricas (depressão, ansiedade, etc);
  • Portadoras de DST;
  • Usuárias de substância psicoativas,
  • Ideação ou tentativa de suicídio,
  • Dificuldades de concentração,
  • Dificuldades de relacionamento social e profissional,
  • Baixa auto-estima;
  • Agressividade;
  • Sentimento de culpa, medo, ira e vergonha;
  • Egressas do sistema prisional.

Procedimentos adotados pelos profissionais do projeto:

  1. Entrevista, apresentação dos critérios do projeto e realização de cadastro de adesão;
  2. Realização de triagem pelo Assistente Social, com visita domiciliar;
  3. Realização de triagem por Psicólogo;
  4. Encaminhamentos necessários: médicos, dentistas; advogados, clínica de recuperação, CRAS, Conselho Tutelar, Delegacia especializada de crimes contra a mulher, abrigos e outras instituições em parceria.
  5. Visitas domiciliares bimestrais pela Assistente Social;
  6. Realização de avaliação a cada 6 meses, por meio de mapa de assistência;
  7. Acompanhamento durante 1 ano às usuárias que deixarem a profissão e/ou em tratamento.
  8. Participação das atividades propostas, com a necessidade de 70% de participação;
  9. Participação em reuniões e grupos terapêuticos;
  10. Passar pela triagem psicológica e social;
  11. Estar disposto a cumprir com as orientações;
  12. Permanência no projeto por 2 anos, com a possiblidade de prorrogar por mais 6 meses, conforme a situação apresentada e de acordo com a presença referente aos itens anteriores,  necessitando parecer do Psicólogo e Assistente Social.

Deveres do Beneficiado:

PERFIL SOCIAL:

  • Sujeitas ao subemprego para sobrevivência;
  • Oriundas de famílias desestruturadas;
  • Baixa escolaridade;
  • Sem formação profissional,
  • Situação de pobreza;
  • Dificuldade em administrar suas finanças;
  • Fenômeno da multigeracionalidade, onde existe a tendência da violência sofrida quando criança ser transmitida, através de comportamentos desta quando adulta, aos seus filhos.
Posted by admin in Notícias, 0 comments
Eu me achava uma mulher feia, acabada, que só servia pra prostituição!

Eu me achava uma mulher feia, acabada, que só servia pra prostituição!

“Quando a gente tá no mundo lá fora você começa achar que não é ninguém, que você é só uma garota de programa e que você tem que fumar, rir, beber pra ser vista e durante o dia você se tranca pra sociedade não te ver, igual morcego. Foi difícil eu reconhecer que eu tinha um talento, capacidade de vencer, eu me achava uma mulher feia, acabada, que só servia pra prostituição. Daí eu conheci um projeto que trabalha com garota de programa e Deus mudou minha vida, comecei a perceber que eu era totalmente diferente de tudo aquilo que eu imaginava, eu tinha um nome. Sozinho ninguém consegue, tem que buscar apoio, ajuda, abraços. Eu morava numa fazenda, minha mãe morreu de câncer e quando eu tinha oito anos um dos meus irmãos mais velhos me abusou. Fugi de casa e fui parar num abrigo. Depois de um tempo fui pra prostituição, encontrei uma cafetina e lá me deram banho, roupa, comida, cuidaram de mim. As meninas e eu usávamos crack, bebida e quando acabava o efeito da droga você só via lágrima escorrendo. Tem menina lá que foi estuprada pelo pai, que fez vários abortos, que o pai matou a mãe. É cada história pior que a outra. Lá eu fiquei grávida e hoje tenho três filhos. Um foi sequestrado e hoje ele tem 21 anos. Todo dia eu sonho com ele, não sei se tá vivo, se mataram, onde ele tá. Eu tinha tudo pra ser ninguém na vida, mas eu lutei e confiei em Deus. Meu sonho é sempre ir mais além. Um dia eu quero falar pra todas essas prostitutas que elas são alguém sim, que são uma jóia rara. Mulher de programa precisa de ajuda, mas o que mais a gente precisa é de amor e carinho porque pedrada tem de monte aí fora. Hoje eu sou dona do meu próprio negócio, tenho onde morar. Eu quero desejar boa sorte pra todo mundo. Nunca desista do seu sonho, você não paga nada pra sonhar.”

 

Testemunho captado pelo Rafael Carrilho através do CG Invisível em 2014

Posted by admin in Notícias, Testemunhos, 0 comments
VIDA NOVA

VIDA NOVA

Vida Nova. É isso que Jesus Cristo nos proporcionou com sua morte e ressurreição. E essa novidade de vida não é um privilégio para algumas pessoas. Ele pagou o preço por todos nós, todos! Mas até hoje, por ainda não ter experimentado deste amor que renova, muita gente está vivendo em meio ao falso e efêmero sentimento de prazer proporcionado pelo mundo. As mulheres envolvidas no comércio sexual muitas vezes fazem parte deste grupo que sonha conhecer amor de fato. Enxergando essas mulheres com os olhos de Jesus e com esperança de realizar este sonho de viver um amor verdadeiro, que se renova e dá nova vida, nasceu o Projeto NOVA. Famílias de Campo Grande que desejam uma vida diferente, são atendidas pelo projeto, que promove qualidade de vida através de ações sócio-educativas. Além de levar o amor de Cristo a essas pessoas, o NOVA tem como objetivo ampliar as possibilidades de vida baseados nos princípios ético-cristãos.

Assim como qualquer outro projeto que visa ajudar as pessoas e oferecer oportunidade de autonomia na vida de forma saudável, o NOVA enfrenta muitos desafios. A existência do projeto, por exemplo, só é garantida graças ao envolvimento das pessoas. Cada centavo investido no NOVA é de grande valia na recuperação de uma vida e no renovo de sonhos. O apoio em oração também é fundamental!

As mulheres atendidas pelo projeto que desejam ser resgatadas da vida de exploração sexual, são ensinadas, apoiadas e estimuladas para que no futuro cada uma delas possa ter autonomia financeira. Para tanto, é necessário tratamento Médico e Odontológico, além de atendimento Psicológico e reabilitação da dependência de substâncias psicoativas. Enquanto são tratadas fisicamente, recebem ainda melhores condições de vida com móveis, roupas, alimentação e oportunidade de fazer cursos de capacitação profissional e recolocação no mercado de trabalho. O NOVA oferece também um grupo social em amor, realizando atividades mensais com palestras motivacionais e terapias em grupo que estimulam a mudança de pensamentos e atitudes, com objetivo de criar o desejo de mudança do estado social dessas mulheres, despertando nelas a vontade de irem em busca dos seus sonhos.

Mas o NOVA não se restringe apenas no cuidado com as mulheres em situação de risco. A família toda entra no atendimento. Os filhos, por exemplo, são cuidados com acompanhamento psicológico, atividades sócio-educativas e doação de leite, fraldas, alimentos nutritivos, material escolar. Todas as famílias são frequentemente visitadas por membros do Projeto para um cuidado e atenção particular.

Entre tantos desafios, as maiores dificuldades estão no transporte e no atendimento. “Estamos em reforma da nossa Casa Apoio, para o atendimento in loco, e por um Carro Utilitário para transporte de doações e visitas semanais”, destaca Viviane Vaz, esta Casa Apoio será mobiliada e mantida pelo Projeto, um centro de convivencia e cidadania.

Muitos são os sonhos do Projeto NOVA. Muita coisa ainda está no planejamento e nas orações. A Casa Apoio e o carro utilitário são os atuais desafios. Se você puder ajudar a realizar estes sonhos, contribuindo assim com o sonho de muitas outras pessoas, entre em contato com o Projeto NOVA pelo (67) 3041-4435.

Por Rafaela Gizzi

Posted by admin in Notícias, 1 comment
Depoimentos para Conferência Missionária

Depoimentos para Conferência Missionária

CONFERÊNCIA MISSIONÁRIA

 

eu não tenho papai… meu pai só é um … minha história é assim… ele só rouba… eu queria que ele vivesse até o resto da vida lá, porque é isso que ele merecia ele só rouba… eu não sei se ele é meu pai.. eu não roubo, eu não mato… meu pior dia é dia dos pais, porque eu não tenho um pai.”
(V. 8 anos)

Quando minha mãe ia pra rua se prostituir pra levar o alimento pra casa.. ai desde ai que eu comecei com esse negócio de vender droga, pra tirar ela dessa vida né. Eu queria tirar ela dessa vida mas não tava vendo onde que eu tava entrando
(L. 17 anos)

Com 9 anos de idade eu tive a primeira relação sexual com o irmão da minha mãe… depois eu fui entender  que eu já era garota de programa desde os 9 anos… a única coisa que consegui da prostituição foi 3 filhos sem pai, HIV e mais nada…
(E. 37 anos)

Esses foram alguns dos testemunhos que impactaram quem esteve presente na 16ª Conferência Missionária da Primeira Igreja Batista, com o tema “Em um Brasil em trevas Seja LUZ” . Na oportunidade o Projeto Nova pôde apresentar seus desafios e testemunhos. Muitos ficaram impactados e para a glória de Deus se voluntariaram para servir a Deus no Projeto.

Posted by admin in Notícias, 1 comment

Carta publicada no Boletim Informativo da Primeira Batista

Boletim 13/11/11 – Pág. 4

MISSÕES: PROJETO NOVA*

Amada Igreja,

Ontem eu tive vontade de ir pra rua, o inimigo falou ao meu ouvido “te falta algo para comer, vai se prostituir e seguir seu destino”. Mas essa não é a vontade de Deus! De repente, lembrei-me de abrir uma gaveta e lá estava um pacote de fubá, um trigo, um pacote de fermento e um mate leão. Sorri, mandei meu filho comprar seis ovos e um leite com as moedas que eu tinha.

Milagrosamente fiquei empolgada e fiz três assadeiras de bolo. E quando vi, estava com uma vasilha de bolo na rua, vendendo meu gostoso bolo de fubá. Como Deus é bom pra mim! Ele sempre me mostra que há tempo. Há tempo para chorar e tempo para sorrir.

Obrigada, amada igreja, por sempre colocar fubá, fermento e trigo na cesta que a igreja me doa! Sei que cada grão de alimento que chega a minha casa, vem regado com muito amor e, principalmente, muita oração!

Estou descansando a prostituta que habita em mim, mas creio que Deus e a oração de todos vocês vai me ajudar a expulsar essa prostituta que me domina há quase 30 anos.

Não desistam de mim. Continuem orando, pois eu quero um dia estar junto de vocês, orando por minhas colegas! Estou gostando de vender bolo… Acho que vou mudar de profissão!

Sou tão grata a Deus por participar do projeto, pois em cada reunião eu me surpreendo e aprendo. Vejo o sorriso, vejo as pessoas se dedicando umas às outras sem querer ou pedir nada em troca. Vejo pessoas se doando de uma maneira que eu nunca tinha visto antes. Sou grata a Deus cada vez que sou convidada a participar de uma reunião na Igreja Batista. Sou grata a Deus por ver tanta gente bonita, mas bonita mesmo! Pessoas que a beleza interior é tão grande que transpassa no olhar e no sorriso. Com certeza são pessoas com Jesus no coração!

Eu sou muito grata a toda Igreja Batista, não só pelo alimento, mas pelo que vejo e aprendo cada vez que participo das reuniões. Muito obrigada Amada Igreja por tanto carinho e amor! Quando estou com vocês eu me esqueço de que sou prostituta, eu me esqueço de que tenho HIV, eu me esqueço dos sofrimentos e me sinto amada por todos.

Que Deus continue abençoando toda a igreja e que nunca falte amor e paciência a vocês, pois sei o quanto é difícil lidar com profissionais do sexo.

Esse amor que recebemos de vocês preenche vazios em nossas vidas! Obrigada amada igreja por tanto carinho! Deus abençoe a todos os membros da Igreja!

Estou vivendo de esperança. Sonho que vou morrer depois dos 70 anos (ainda faltam 35 anos). Sonho que serei chamada de filha de Deus!

Estou vivendo de sonhos e de esperança. Sei que sou boba, pois são apenas sonhos, mas são eles que me mantem viva por um dia!

Orem por mim e muito obrigada!!!

Evanir

(Uma das mulheres que fazem parte do Projeto NOVA)

*Projeto que trabalha com o objetivo de mudar vidas que são escravizadas pelo comércio sexual.

 

Posted by admin in Testemunhos, 0 comments

Testemunho Anônimo

Amados e Amadas,

Em nome de Cristo saúdo toda mãe e toda mulher pelo imenso amor e coragem que vcs tem.

Nasci em um lar totalmente destruído, fui molestado pela minha mãe e muitas vezes testemunhei varias cenas de minha mãe com homens dentro de casa. Cenas que carrego dia-a-dia em minha memória, muitas vezes meu pai vinha nos visitar as noites e enquanto minha mãe estava em bares e entre outros lugares, e nos chorando por um braço para nos acudir e estar seguros, lagrimas e lagrimas escorria de nos, noites e noites a sós eu e meu irmão a sós dentro de casa sem segurança ou amor.

Com o tempo a minha mãe por não ter outra opção teve que se vender para se sustentar e estar perto de nos. Muitas vezes eu mesmo a levava para os lugares para se prostituir, e cada vez que levava meu coração se partia, mas também vi o coração dela se partindo por não ter outra opção e tudo que ela queria na realidade era estar perto dos seus filhos e dar o melhor dela Percebi o sacrifício que ela fazia e a dor nos seus olhos gritando dizendo que ama seus filhos e que e capaz de dar o seu próprio corpo para estar ao lado deles. Uma vez tive que levar minha mãe que estava dopada de cocaína em mãos de homens perdidos. Meu coração se partia a cada vez mais com cenas de minha mãe em drogas sem sentido dizendo inconscientemente “Eu amo vcs”. A dor e grande e a revolta contra o mundo maior ainda. A dor me dominou, a raiva me conquistou, e a perdição foi o meu rumo. Pois a pessoa a quem mais eu amo esta se auto destruindo.

Perguntava e muitas vezes pedia para o criador deste mundo me respondesse todas as perguntas que tinha para a minha vida ate conhecer a bíblia e ler a palavra de Deus. E uma passagem que me fez refletir foi que “Deus amou o mundo tal maneira que deu seu filho unigênito para que todos nele crer” Joao 3:16. E vocês mães deram seu próprio corpo para que seus filhos crer em seu amor por eles. Mas prestem atenção na palavra “para que todos nele crer” será que vocês mães crê em que Deus pode transformar a vida de vocês? Eu creio que sim pq Deus transformou a vida da minha mãe hoje, e hoje ela tem a loja dela, parou com a vida que ela tinha e ela viu que a verdadeira felicidade esta em fazer a vontade de Deus.

Se você mãe esta dando seu próprio corpo, a coisa mais rara que você tem em sua vida, a coisa mais preciosa que Deus criou especialmente para você. Da mesma forma que Deus crê em você eu também creio que você e capaz de dar o seu melhor de outra maneira de se capacitar e se sustentar e estar perto do seu filho. O seu filho se alegra quando vê que vc não desistiu da vida e que a vida não e fácil. Ele se alegra quando você chega em casa e seu filho ansioso para te abraçar e ter todo o carinho que uma mãe pode dar ao seu filho. Seu filho se alegra quando vê você se levanta e fala que Deus não vai desistir de mim. O filho e seu fruto e vc e exemplo para ele. Se você ter um exemplo de Fe, garra, forca, bravura seu filho te seguira.

Entregue o seu caminho ao Senhor, confie nele e ele agira. (Salmos 37:5)

No mundo tereis aflições, mas tende bom animo eu venci o Mundo. (Joao 16:33)

Posted by admin in Testemunhos, 0 comments

Entrevista – Perspectiva de Futuro, Setor Sucroalcooleiro e Exploração Sexual, o que tem haver?

Por Jéssica Machado

Sim, todos esses assuntos fazem parte de uma mesma conversa. Em estudo (Arquivo PDF) divulgado pelo XI Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais, realizado na Bahia no ano passado, o setor Sucroalcooleiro crescente e próspero em Mato Grosso do Sul, teve consequências não imaginadas. Ruins para a sociedade.

Por quê? O motivo é óbvio. Com a perspectiva de um futuro promissor para o estado como um todo, as indústrias desse setor foram implantadas em cidades do interior do estado, fazendo aumentar a população dessas pequenas cidades e assim, os problemas sociais. Um desses problemas foi a Exploração Sexual Infantil.

No dia 18 de Maio foi comemorado o Dia Nacional de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Em Campo Grande existe um programa chamado Projeto Nova que promove qualidade de vida (bio/psico/sócio/ambiental e espiritual) às famílias assistidas, com o objetivo de apresentar uma NOVA vida, baseados nos princípios de Cristo Jesus.

Como protesto, Viviane Vaz que é Coordenadora do Projeto Nova, publicou um vídeo (http://www.youtube.com/watch?v=6Bknx43ps5A) para contribuir nessa luta.

Repórter: Quando você percebeu que as crianças do projeto mereciam tanta atenção como as mulheres?

Viviane: O Projeto com as mulheres já existia, e através do contato com as profissionais do sexo, percebemos que um dos maiores motivos delas continuarem nas ruas era por causa dos filhos. Para dar alimento e tentar oferecer algo de bom aos filhos, que já não tinham amor paterno. Percebi também que elas tinham muita culpa e por isso não disciplinavam, e por consequência da falta de estrutura familiar se envolvem numa série de situações de risco. Foi então que nos despertamos para um olhar mais sensível a essas crianças.

R: No dia 18 de maio, você lançou um vídeo a favor do Dia Nacional de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, porque é importante falar sobre esse assunto?

V: Porque cremos que somente falando sobre o assunto as pessoas irão prestar mais atenção em seus filhos, crianças próximas, que possam estar sofrendo com isso e estão tímidas e caladas. Creio que o Abuso Sexual na infância é mais do que um ato sexual é uma agressão muito grande na mente, na formação emocional dessa criança como ser humano. Os casos são muito mais comuns do que a sociedade pensa, e ao falar do assunto, podemos conscientizar, instruir os pais e crianças a evitarem que talvez essas crianças tenham seus futuros comprometidos.

R: Existe uma preocupação com as cidades do interior do estado também nesse sentido. O projeto tem planos de atender outras cidades?

V: Claro que sonhamos em expandir para os focos de maior prostituição, especialmente a pedofilia. Estamos atendendo uma adolescente que reside em Corumbá, mas por enquanto temos muito trabalho a fazer na nossa capital. Ainda estamos no começo do nosso trabalho.

O projeto tem por objetivo atender famílias constituídas apenas por mães e filhos, ou seja, que não tem um pai provedor. Elas são semi-analfabetas e não tem uma profissionalização, por isso vivem da exploração sexual para terem condições de se alimentar e pagar uma moradia, que muitas vezes não têm as mínimas condições de salubridade.

Posted by admin in Notícias, 0 comments